Arquivo da tag: Edivane Bactista

Atrações do Teatro para Crianças de PE

Cira Ramos (D) é homenageado do fetival de Edvane Bactista e Ruy Aguiar

Cira Ramos (D) é homenageado do festival de Edivane Bactista e Ruy Aguiar

A programação do XIV Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco prossegue até 30 de julho, com peças infanto-juvenis. Realizado pela Métron Produções, de Edivane Bactista e Ruy Aguiar, a iniciativa também sentiu a retração econômica que atingiu a área cultural. O evento, que começou no início do mês, veio mais enxuto, apenas com grupos locais, que totalizam 23 apresentações. Neste fim de semana, foram selecionados versões cênicas da literatura como O fantástico mistério de Feiurinha, adaptação do livro de Pedro Bandeira, João e o Pé de Feijão, sobre um menino que encontra uma galinha dos ovos de ouro; a clássica história de Antoine de Saint-Exupéry, sobre a relação entre um piloto de avião e uma criança em O Pequeno Príncipe e Três Contos Mágicos sobre anões e maçãs envenenadas.

A homenageada desta edição é a atriz, gestora pública, diretora teatral, locutora, dubladora e preparadora de elenco Cira Ramos, que mesmo com uma carinha de criança, já contabiliza 39 anos de profissão. Entre os espetáculos que atuou estão Maria Borralheira (Papagaios Produções), Avoar (TTTrês Produções Artísticas), A Ver Estrelas (Adriana Falcão / Alexandre Alencar), Caxuxa (Grupo ou Entra no Tom ou sai da Música), Peter Pan no Circo do Chocolate (Chocolate Produções).

PROGRAMAÇÃO

Montagem pernambucana do Pequeno Príncipe

Montagem pernambucana do Pequeno Príncipe

Teatro de Santa Isabel ((Praça da República, s/n, Santo Antônio). Fone: 3355-3323)
22 e 23/07 – O Pequeno Príncipe (Cia. do Riso – Recife/PE)

Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
22 e 23/07- O Fantástico Mistério da Feiurinha (Cia Individual de Teatro – Recife/PE)
29 e 30/07 – Ariel, Uma História dos 7 Mares (Humantoche Produções – Paulista/PE) 

Teatro Barreto Júnior (Rua Estudante Jeremias Bastos, s/n, Pina. Fone: 3355-6398)
22 e 23/07- Branca de Neve (Humantoche Produções – Paulista/PE)
29 e 30/07- Malévola e Aurora em Uma Bela Adormecida (Capibaribe Produções – Recife/PE)

Teatro Experimental Roberto Costa ((North Way Shopping – Paulista. Fone: 98859-0777).
22 e 23/07- João e o Pé de Feijão (Capibaribe Produções – Recife/PE)
29 e 30/07- Os 3 Super Porquinhos (Roberto Costa Produções – Paulista/PE)

Serviço
XIV Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco
Quando: Sábados e domingos de julho 2017, 16:30h (todos os espetáculos)
Onde: Teatro Santa Isabel, Teatro Luiz Mendonça, Teatro Barreto Junior, Teatro Experimental Roberto Costa
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)

Postado com as tags: , , ,

Banquete para objetos animados

Sala de Jantar inaugura nova fase da produtora teatral de Edvane Bactista e Ruy Aguiar. Foto: Divulgação

Sala de Jantar inaugura nova fase da produtora teatral de Edivane Bactista e Ruy Aguiar. Foto: Divulgação

A Métron Produções, no mercado teatral recifense há 19 anos, sabe explorar as propriedades da palavra resiliência. A crise é cíclica, a cultura nunca foi a prioridade das políticas governamentais, existe carência de palcos e parcos incentivos, a cena teatral precisa enfrentar adversidades. A produtora inventa e reinventa o seu jeito de sobreviver. Dessa vez abriu o escritório da companhia – localizada no bairro da Boa Vista – e transformou a sede em espaço para apresentações cênicas de diversos formatos, cursos, oficinas e o que mais vier.

E esse novo ciclo abriga a curta temporada do espetáculo de formas animadas Sala de Jantar, mais uma experimentação da empresa cultural. Na peça que tem texto e direção de Ruy Aguiar, Taças, Talheres, Pratos, Castiçais e Guardanapos são personagens de uma trama que se passa num castelo europeu no século 19. Essas figuras/objetos articulam a preparação de um banquete requintado e a interação com os humanos, sob a liderança do Lacaio.

Nesse espaço intimista, os artefatos ganham personalidades específicas, vinculadas às funções de cada um. O elenco – formado pelo próprio Ruy Aguiar, Adilson Carvalho, Edivane Bactista, Fabiana Coelho e Ryan Rodrigues – utiliza várias técnicas de manipulação em linguagens diferentes, como ilusionismo, mágica, teatro de sombras.

O texto foi fecundado no curso de dramaturgia “Na fronteira das linguagens”, proposto em 2008 pelo dramaturgo pernambucano Luiz Felipe Botelho, que também foi a semente de outras peças pernambucanas.

A montagem é produzida com incentivo do Funcultura.

FICHA TÉCNICA
Texto e Direção: Ruy Aguiar
Pesquisa Musical / Trilha Sonora: Lailson Cavalcante
Consultoria para Efeitos Especiais: Ryan Rodrigues  
Figurinos / Ambientação cenográfica: Marcondes Lima
Concepção do cenário: Ruy Aguiar
Desenho de Luz: Saulo Uchoa
Execução de luz: João Guilherme / Natalie Revorêdo (Farol Ateliê da Luz)
Execução de Sonoplastia: Ailton Brisa
Oficineira: Maria Oliveira 
Cenotécnico: Mario Almeida 
Aderecistas:  Ryan Rodrigues / Manuel Carlos / Elida Tavares   
Confecção de figurino e cenário (Costuras): Edilene Silva / Maria Lima
Gravação e mixagem: Marcílio Moura (Fábrica Estúdios)
Design Gráfico: Hilton Azevedo
Impressão: Contorno ideias e soluções

Produção Geral: Edivane Bactista / Ruy Aguiar
Produtor Cultural/ Proponente: Ruy Aguiar
Apoio de Produção: Camila Azevedo / Élida Tavares
Assessoria de Imprensa: Edivane Bactista (DRT/PE: 2151)
Incentivo Cultural: Funcultura / Fundarpe / Secretária de Cultura / Governo de Pernambuco
Realização: Métron Produções

Elenco:
Adilson Di Carvalho (Lacaio)
Edivane Bactista (Visitante)
Fabiana Coelho (Ajudante da cozinha / Guarda)
Ruy Aguiar (Visitante)
Ryan Rodrigues (Ajudante / Guarda)
Fabiana Coelho (Cadeira / Taça)
Mônica Maria (Toalha)
Isabela Cavalcanti (Faca / Taça)
Ruy Aguiar (Guardanapo)
Ryan Rodrigues (Garfo / Prato)
Simone Santos (Cadeira / Jarra)

Serviço
Espetáculo ‘Sala de Jantar’
Quando: Sábado e domingo, às 19h, até 9 de abril
Onde: Sede da Métron Produções (Rua Tabira, 109, Boa Vista – Recife)
Capacidade: 20 espectadores
Ingressos: R$ 20 e R$ 10
Reserva de ingressos: (81) 3423 1568 ou pelo Whatsapp, 8199418 0025.

Postado com as tags: , , , , ,

Criança, teatro e tecnologia

O encenador Marcondes Lima. Foto: Ivana Moura

O encenador Marcondes Lima. Foto: Ivana Moura

Já houve um tempo em que se dizia “Cala a boca, menino!”. E a criaturinha não tinha direito à voz. Os miúdos atualmente são tratadas (ou deveriam ser) como seres inteligente, sensíveis, cheios de vontade, inclusive de consumo. A palestra A criança, o teatro, o mundo tecnológico e os tempos atuais, com o encenador, cenógrafo, figurinista e professor de teatro Marcondes Lima vai refletir sobre o teatro para a infância, as autonomias e os mundos paralelos promovidos pela tecnologia, com uma oferta diversificada e assombrosa para a garotada. E como todo esse caldeirão influencia no interesse dos pequenos pelo teatro e a utilização dos recursos da tecnologia no palco.

A conversa encerra a programação do Polo Formação do 12º Festival de Teatro para Criança de Pernambuco – FTCPE, promovido pela Métron Produções, de Edivane Bactista e Ruy Aguiar. O encontro está marcado para às 19h, no Teatro Hermilo Borba Filho. A entrada é gratuita.

Postado com as tags: , , , ,

Vá ao teatro e leve as crianças

Espetáculo Entre janelas, de Curitiba

Espetáculo Entre janelas, de Curitiba é uma das atrações do fim de semana


Um espetáculo do Recife, outro de Petrolina e terceiro de Curitiba, Paraná, compõem a programação deste fim de semana do 12º Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco. O evento segue até 2 de agosto, aos sábados e domingos, 16h30. O festival é uma realização da Métron Produções, da atriz e produtora Edivane Bactista e do ator, diretor de teatro, dramaturgo, produtor cultural Ruy Aguiar.

Há quem acredite que viemos ao mundo com alguma missão. Nonna pensa que a sua é salvar seus três filhos adotivos, amaldiçoados por um feitiço de suas tias. Esse é o miolo de Os três coroados, uma adaptação de um conto da tradição oral feita pelo dramaturgo Luiz Felipe Botelho.

Nele, uma mulher passará por lugares misteriosos e enfrentará perigos para cumprir o seu destino. Dirigida por Rodrigo Cunha, o espetáculo Os Três Coroados, dialoga com manifestações e folguedos populares como o cavalo marinho, o maracatu rural e os caboclinhos. A montagem é do Coletivo Teatro Domínio Público, do Sesc Santo Amaro.

A Cia Biruta, de Petrolina, navega pelo Rio São Francisco, com suas lendas, monstros e encantamentos. Para o festival traz a montagem Chico e Flor Contra os Monstros na Ilha do Fogo, que trata da memória, das projeções heroicas de um barqueiro contador de histórias e que guarda no peito uma grande saudade. Chico conhece o São Francisco como poucos. Mas no sobe e desce do rio, o que ele sonha mesmo é reencontrar seu pai e sua mãe que sumiram em uma noite de chuva. O barqueiro quer vencer essa batalha. Para isso precisa destruir os monstros na Ilha do Fogo. Nessa aventura ele vai contar com uma colaboração muito especial, da menina Flor.

O que pode acontecer com amizade entre um garoto e seu melhor amigo, um cachorro chamado Pitu! Depois da chegada de um computador? É isso que as crianças vão ver no espetáculo Entre Janelas. A peça é livremente inspirada no livro Uma Janela entre Dois Amigos, de Gustavo Gaivota. A concepção cênica une a linguagem de animação corporal desenvolvida pela Tato com a pesquisa de construção de boneco de balcão desenvolvida por Eduardo Santos.

Os três coroados tem direção de Rodrigo Cunha

Os três coroados tem direção de Rodrigo Cunha

Os Três Coroados
Quando: 11 e 12 de julho de 2015, às 16h30
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
Texto: Luiz Felipe Botelho
Direção: Rodrigo Cunha
Assistentes de direção: Amanda Pegado e Gabriela Holanda
Elenco: André Paiva, Fabrícia Macedo, Fernanda Brasil, Fernando Rybka, Francisco Nery, Geraldo Monteiro, Marie Charlotte Degaine, Norma Moura, Ryan Leivas e Íris Campos, atriz convidada
Fotografias: Rafael Céu
Classificação etária: Livre
Duração: 50 minutos
Realização: Coletivo de Teatro Domínio Público / Sesc (Recife-PE)

Chico e Flor Contra os Monstros na Ilha do Fogo é uma montagem de Petrolina

Chico e Flor é uma montagem de Petrolina

Chico e Flor Contra os Monstros na Ilha do Fogo
Quando: 11 e 12 de julho de 2015 / 16h30
Onde: Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
Texto / Direção geral: Antonio Veronaldo
Direção musical: Carlos Hiury e Moesio Belfort
Elenco: Juliana Moura e Paulo Júnior
Produção executiva: Cristiane Crispim e Marcos Aurélio
Fotografias: Lizandra Martins
Classificação etária: Livre
Duração: 55 minutos
Realização: Cia. Biruta (Petrolina / PE)

Peça do Paraná fala sobre amizade

Peça do Paraná fala sobre amizade


Entre Janelas
Quando: 11 e 12 de julho de 2015, às 16h30
Onde: Teatro Capiba (Sesc Casa Amarela)
Adaptação: Eduardo Santos e Dico Ferreira
Direção: Dico Ferreira
Colaboração: Katiane Negrão
Elenco: Eduardo Santos e Carolina Maia
Confecção dos bonecos e objetos de cena: Eduardo Santos
Figurinos: Luciana Falcon
Trilha sonora: Marcelo Oliveira
Fotografias: Anelize Tozetto
Classificação etária: A partir de 5 anos
Duração: 45 minutos
Realização: Tato Criações Cênicas / Curitiba – PR

Postado com as tags: , , , , ,

Julho é mês de festival de teatro para criança

Tarô-Bequê ; Meu Reino por um drama; os homenageados Monica e Roberto e Chico e Flor

Tarô-Bequê ; Meu Reino por um drama; os homenageados Monica e Roberto e Chico e Flor

12FETV As férias de julho combinam com Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco, que chega à sua 12º edição. Durante os fins de semana do mês têm programação variada. De 4 de de julho a 2 de agosto, aos sábados e domingos, 16h30, serão exibidos espetáculos nos Teatros Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu; Capiba, no Sesc Casa Amarela; Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro, e no Santa Isabel.

Doze companhias participam desse Polo Teatros, sendo nove da Região Metropolitana do Recife, uma companhia de Petrolina (Cia. Biruta), representando o Sertão do Estado; e dois representantes do Sul e Sudeste do País, uma companhia de Curitiba com o espetáculo Entre Janelas (Tato Criações Cênicas) e a Cia. Arte Móvel da cidade de Americana (São Paulo), com Pinócchio – Olhos de Madeira. Ao todo serão 24 apresentações.

O casal de artistas pernambucanos Mônica Vilarim e Roberto Costa são os homenageados deste ano, pelos 30 anos de carreira. Vilarim ficou conhecida como a Xuxa do Recife e tem no currículo mais de 30 espetáculos como atriz e bailarina. Roberto Costa é múltiplo e além de diretor teatral é cenógrafo, aderecista, ator, figurinista, empresário e produtor teatral.

A produção do festival é da atriz e produtora Edivane Bactista e de Ruy Aguiar, ator, diretor de teatro, dramaturgo, produtor cultural, que tocam juntos a Métron Produções.

Confira programação

 Adaptação pernambucana tem direção geral de Roberto Costa

Adaptação pernambucana de A Bela e a Fera tem direção geral de Roberto Costa

A Bela e a Fera
Quando: 4 e 5 de julho,  às16h30
Onde: Teatro de Santa Isabel (Praça da República)
Ingressos:  R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia-entrada para crianças a partir de 02 anos, estudante e boa idade mediante a apresentação da carteira)
 Informações: 81 – 30886650 / 88590777 ou  www.teatroparacrianca.com.br
Livre adaptação do conto de Jeane Marie Le Prince de Beaumont
Adaptação/Direção geral e artística: Roberto Costa
Elenco: Luciano Lucas, Paloma Almeida, Mônica Vilarim, Zanel Reys, Micheline Torres, Clara Torres, André Lins, Gabriel Nogueira, entre outros.
Coreografias: Clóvis Bezer
Fotografias: Dodi Fontes
Classificação etária: Livre
Duração: 60 minutos
Realização: Roberto Costa Produções (Recife-PE)
O espetáculo conta a história de um príncipe rico e arrogante, que ao negar abrigo a uma feiticeira disfarçada de velhinha e julgá-la pela aparência, é condenado a viver como uma fera para sempre em seu castelo. O feitiço poderá ser desfeito, desde que alguém se apaixone por ele de verdade.

Baseado em conto de Hans Christian Andersen, peça Frozen tem direção de Roberto Oliveira

Baseado em conto de Hans Christian Andersen, peça Frozen tem direção de Roberto Oliveira

Era Uma Vez no Gelo – Frozen
Quando: 4 e 5 de julho,  às 16h30
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
Adaptação/Direção Geral: Roberto Oliveira
Elenco: Viviane Santos, Isabelly Sá, Rafaelle Carvalho, Manuella Beatriz, Claudiane Pryscila, Kelly Santos, Jailson Diaz, Marcone Mastronelly, Del Vieira, Carlos Mallcom, Felipe Rúzio e Guilherme Barreto.
Coreografias: Clóvis Bezer
Fotografias: Ivanildo dos Anjos
Classificação etária: Livre
Duração: 50 minutos
Realização: Capibaribe Produções (Recife-PE)
Era Uma Vez No Gelo – Frozen é um musical baseado no conto A Rainha da Neve, do dinamarquês Hans Christian Andersen. A montagem pernambucana leva à cena duas irmãs que ainda crianças são proibidas de brincarem juntas, pois tudo que Elsa, a mais velha, toca, transforma-se em gelo.

O texto é de Luiz Felipe Botelho, adaptado da literatura oral, com direção de Rodrigo Cunha

O texto é de Luiz Felipe Botelho, adaptado da literatura oral, com direção de Rodrigo Cunha

Os Três Coroados
Quando: 11 e 12 de julho de 2015, às 16h30
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
Texto: Luiz Felipe Botelho
Direção: Rodrigo Cunha
Assistentes de direção: Amanda Pegado e Gabriela Holanda
Elenco: André Paiva, Fabrícia Macedo, Fernanda Brasil, Fernando Rybka, Francisco Nery, Geraldo Monteiro, Marie Charlotte Degaine, Norma Moura, Ryan Leivas e Íris Campos, atriz convidada
Fotografias: Rafael Céu
Classificação etária: Livre
Duração: 50 minutos
Realização: Coletivo de Teatro Domínio Público / Sesc (Recife-PE)
Adaptação de um conto da literatura oral para o teatro feita por Luiz Felipe Botelho, Os Três Coroados conta a história de Nonna, uma mulher que vem ao mundo para salvar seus três filhos adotivos, vítimas de um feitiço lançado por suas tias. A encenação dialoga com manifestações e folguedos populares como o cavalo-marinho, o maracatu rural e os caboclinhos.

Inspirado no livro Uma Janela Entre dois Amigos, montagem do Paraná tem direção de Dico Ferreira

Inspirado no livro Uma Janela Entre dois Amigos, montagem do Paraná tem direção de Dico Ferreira

Entre Janelas
Quando: 11 e 12 de julho de 2015, às 16h30
Onde: Teatro Capiba (Sesc Casa Amarela)
Adaptação: Eduardo Santos e Dico Ferreira
Direção: Dico Ferreira
Colaboração: Katiane Negrão
Elenco: Eduardo Santos e Carolina Maia
Confecção dos bonecos e objetos de cena: Eduardo Santos
Figurinos: Luciana Falcon
Trilha sonora: Marcelo Oliveira
Fotografias: Anelize Tozetto
Classificação etária: A partir de 5 anos
Duração: 45 minutos
Realização: Tato Criações Cênicas / Curitiba – PR
Livremente inspirado no livro Uma Janela entre Dois Amigos, de Gustavo Gaivota, o espetáculo Entre Janelas encena a história de um menino e seu melhor amigo: um cachorro chamado Pitu! A amizade feita de brincadeiras no quintal é ameaçada quando o menino ganha de presente um computador. A concepção cênica de Entre Janelas mescla a linguagem de animação corporal desenvolvida pela Tato com a pesquisa de construção de boneco de balcão desenvolvida por Eduardo Santos.
*Espetáculo acessível para surdos.

Cia Biruta, de Petrolina, navega pelo Rio São Francisco com suas lendas e monstros

Cia Biruta, de Petrolina, navega pelo Rio São Francisco, com suas lendas e monstros

Chico e Flor Contra os Monstros na Ilha do Fogo
Quando: 11 e 12 de julho de 2015 / 16h30
Onde: Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
Texto / Direção geral: Antonio Veronaldo
Direção musical: Carlos Hiury e Moesio Belfort
Elenco: Juliana Moura e Paulo Júnior
Produção executiva: Cristiane Crispim e Marcos Aurélio
Fotografias: Lizandra Martins
Classificação etária: Livre
Duração: 55 minutos
Realização: Cia. Biruta (Petrolina / PE)
Chico é um barqueiro que conhece o São Francisco como ninguém. Vive inventando histórias e figuras. Ele sonha um dia voltar a encontrar seu pai e sua mãe que sumiram em uma noite de chuva numa viagem de barco. Para isso ele deve destruir os monstros na Ilha do Fogo. Flor é amiga de Chico, uma menina cheia de curiosidade, sapeca e destemida e que ao conhecer a história do barqueiro deseja unir-se a ele nessa aventura.

Espetáculo de bonecos em variados tamanhos e técnicas de manipulação do grupo Mão molenga

Espetáculo de bonecos em variados tamanhos e técnicas de manipulação do grupo Mão molenga

Algodão Doce
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
Quando: 18 e 19 de julho de 2015 / 16h30
Argumento e roteiro: Carla Denise / Marcondes Lima
Direção cênica / Direção de arte: Marcondes Lima
Direção musical: Henrique Macedo
Elenco: Elis Costa, Íris Campos, Fábio Caio, Fátima Caio e Marcondes Lima
Fotografias: Carla Denise
Classificação etária: 5 anos
Duração: 55 minutos
Realização: Mão Molenga Produções Culturais e Artísticas LTDA-ME (Recife / PE)
Com música, dança e muito bom-humor o espetáculo ilustra o doce-amargo da Cultura do Açúcar, seu rico imaginário e suas contradições, desde a chegada da cana ao Brasil. Conta três histórias de assombração (Comadre Fulozinha, As desventuras de Ioiozinho e O Negrinho do Pastoreio) entremeadas por canções originais e danças inspiradas na tradição de Pernambuco.

Adaptado do livro de André Neves a peça tem versão dramatúrgica e encenação de Claudio Lira

Adaptado do livro de André Neves a peça tem versão dramatúrgica e encenação de Claudio Lira

Sebastiana e Severina
Onde: Teatro Capiba (Sesc Casa Amarela)
Quando: 18 e 19 de julho de 2015 / 16h30
Texto original e adaptação para teatro: André Neves
Encenação: Claudio Lira
Elenco: Zuleica Ferreira, Célia Regina, Luiz Manuel e Demétrio Rangel
Direção musical: Demétrio Rangel
Direção de arte: Marcondes Lima
Fotografias: Pedro Portugal
Classificação etária: A partir de 5 anos
Duração: 50 minutos
Realização: Teatro Kamikaze / Recife – PE
As rendeiras Sebastiana e Severina desejam encontrar “um príncipe encantado” para casar. A chegada de Chico (um homem bonito, alto e inteligente) à cidade de Umbuzeiro, desperta logo o interesse das moças. A montagem dirigida por Claudio Lira pretende (tal qual o livro) fazer com que cada espectador sinta-se convidado para os festejos ao padroeiro da cidade de Umbuzeiro.

Versão da Cênicas Cia de Repertório, do Recife, da peça mais popular de Maria Clara

Versão da Cênicas Cia de Repertório, do Recife, da peça mais popular de Maria Clara

Pluft, o Fantasminha
Quando: 18 e 19 de julho de 2015 , às 16h30
Onde: Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
Texto: Maria Clara Machado
Direção: Antônio Rodrigues
Elenco: Raul Elvis, Manu Costa, Sônia Carvalho, Rogério Wanderley, Monique Nascimento, Ana Gabriela, Hyrlis Leuthier e Antônio Rodrigues
Fotografias: Valdemir Rodrigues
Classificação: Recomendado para crianças a partir de 3 anos
Duração: 50 minutos
Realização: Cênicas Companhia de Repertório / Cênicas Núcleo Paralelo (Recife-PE)
Quem não conhece a história do rapto da Menina Maribel pelo cruel Pirata Perna-de-Pau?! O vilão esconde a menina no sótão de uma casa abandonada, onde vive uma família de fantasmas: a Mãe, que faz deliciosos pastéis de vento; o fantasminha Pluft, que tem medo de gente; Tio Gerúndio, que dorme dentro de um baú; e Xisto, o primo aviador. A trama se concentra na procura do tesouro do avô da menina, o Capitão Bonança. O encanto dea peça é a amizade que surge entre Maribel e Pluft.

Lano de Lins é o diretor de Aladdin e o Gênio da Lâmpada

Lano de Lins é o diretor de Aladdin e o Gênio da Lâmpada

Aladdin e o Gênio da Lâmpada
Quando: 25 e 26 de julho de 2015.às 16h30
Onde: Teatro de Santa Isabel (Praça da República)
Adaptação/Direção Artística: Lano de Lins
Elenco: Moisés Ferreira, Giselly Brasiliano, Reyson Santos, Joelma Alves, Lano de Lins, Toninho Miranda, Thiago Leal , Alê Oliver, Kaline Lisboa, Michelle Mourão, Augusto Pimenta e Augusto Veras
Coreografias: Clóvis Bezer
Produção Executiva: Paulo André Guimarães
Fotografias: Cristiano Cândido
Classificação etária: Livre
Duração: 55 minutos
Realização: Cia do Sol (Recife-PE)
Aladdin e o Gênio da Lâmpada é mais uma produção da Companhia do Sol. Adaptado do conto árabe Aladin e a Lâmpada Maravilhosa . Em cena, Alladdin, um jovem pobre e sonhador, se envolve com a Princesa Jasmine. Quando Jafar, o bruxo conselheiro do sultão, tenta estragar essa felicidade, Aladdin encontra uma lâmpada mágica com um gênio, que muda todo o rumo de sua vida.

Peça é baseada em lendas originais do alto Amazonas, com direção de José Francisco filho

Peça é baseada em lendas originais do alto Amazonas, com direção de José Francisco filho

A Lenda do Sapo do Tarô-Bequê
Quando: 25 e 26 de julho de 2015 / 16h30
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
Texto: Márcio Souza
Direção geral: José Francisco Filho
Assistente de direção: Ricardo Vendramini
Elenco: Ibson Quirino, Michele Sant’ana, Ricardo Vendramini, Patrícia Breda, Roberta Mharcina e George Meireles
Direção de arte: Marcondes Lima
Coreografias: Black Escobar
Musicais originais: João Natureza
Fotografias: Sayonara Freire e Alcides Ferraz
Classificação etária: A partir de 3 anos
Duração: 55 minutos
Realização: Circus Produções – Recife / PE
A fábula escrita pelo amazonense Márcio Souza é baseada em lendas originais do alto Amazonas. Encenada por José Francisco filho, a peça transporta o público ao mundo encantado das histórias fantásticas. Em cena, o sapo Tarô-Bequê convence o Cainhamé de que é bom ser gente. De tanto insistir, Caiamé transforma o Tarô-Bequê em um guerreiro. Vendo a solidão do guerreiro, Cainhamé, faz surgir de um cipó a moça Juriti pela qual o Sapo gente se apaixona. A trama se desenvolve cheia de suspense e aventura.

Cia Arte Móvel (Americana - SP) faz uma recriação cênica do  conto clássico Pinocchio

Cia Arte Móvel (Americana – SP) faz uma recriação cênica do conto clássico Pinocchio

Pinocchio – Olhos de Madeira
Onde: Teatro Capiba (Sesc Casa Amarela)
Quando: 25 e 26 de julho de 2015 / 16h30
Texto/Direção: Rafael Curci
Ator solista: Otávio Delaneza
Produção: Lays Ramires
Fotografias: Edson Nepomuceno
Classificação etária: Livre
Duração: 50 minutos
Realização: Cia Arte Móvel (Americana – SP)
Pinocchio – Olhos de Madeira é uma recriação cênica de um conto clássico narrado pelo protagonista. A montagem encara o desafio de resgatar a infância esquecida. Em meio a reviravoltas ilusionistas, ganham vida distintos personagens: Um fole em coruja, um cachecol em raposa, um jornal em barco e de uma pequena centelha de fogo surge a consciência de Pinocchio.

História da abelhar-rainha, com texto do jornalista Cícero Belmar e direção de Ruy Aguiar

História da abelhar-rainha, com texto do jornalista Cícero Belmar e direção de Ruy Aguiar

Meu Reino Por Um Drama
Quando: 1 e 2 de agosto de 2015 / 16h30
Onde: Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu / Boa Viagem)
Texto: Cícero Belmar
Direção geral: Ruy Aguiar
Direção de arte: Marcondes Lima
Elenco: Angélica Zenith, Ana Clara Torres, Bruna Pontual, Del Vieira, Edivane Bactista, Fabiana Coelho, João Pedro, Maria Luísa Aguiar, Michelline Torres, Nelma Barros, Renato Parentes e Ruy Aguiar.
Coreografias: Kléber Lourenço
Fotografias: Ronaldo Oliveira
Classificação etária: Livre
Duração: 60 minutos
Realização: Métron Produções – Recife / PE
Fábula musical que conta a história de uma Abelha Rainha em crise por achar que a sua vida é boa demais. Em busca de um drama, deixa a colmeia para tentar uma nova vida. A partir daí, se depara com várias situações, com a tentativa de fazer novas amizades. Na sua busca pessoal encontra as joaninhas e as formigas, e começa a perceber que o mundo fora da colmeia parece não ser tão amigável como imaginava.

Postado com as tags: , , , ,